Home BlogNotícias e Curiosidades Em Busca da Felicidade: Por Que As Pessoas Submetem-se À Cirurgia Plástica?
cirurgia_plastica

Em Busca da Felicidade: Por Que As Pessoas Submetem-se À Cirurgia Plástica?

por Dra. Marcela Scarpa

A constante evolução da beleza tem proporcionado um crescimento na busca por procedimentos estéticos cirúrgicos.

Ter um corpo torneado ou um rosto harmônico pode ser considerado um caminho para a felicidade para algumas pessoas.

A maioria dos pacientes que se submetem a cirurgias estéticas afirma que o principal objetivo para realizar o procedimento é sentir-se confortável com sua própria aparência e, consequentemente, sentir-se mais feliz.

A mídia exerce grande influência sobre como esses novos padrões de beleza são percebidos pela sociedade. Afinal, as tendências estão a todo vapor no feed do Instagram e nas manchetes de portais de notícias. Já falei sobre isso nos artigos:

Esse ritmo de novas tendências, notícias e reações praticamente instantâneas gera um novo movimento de motivação que atinge milhares de pessoas. Com isso, a demanda por produtos e procedimentos que possibilitem alcançar esses mesmos resultados também cresce.

cirurgia_plastica

Os outros extremos de perfis de pacientes também são comuns: aqueles se são contrários à realização de procedimentos cirúrgicos de motivação puramente estética e os que possuem hipervalorizações desproporcionais às suas queixas. Cabe aos profissionais responsáveis identificar motivações extremas ou desordens psicológicas que possam atrapalhar o sucesso da cirurgia ou a satisfação do paciente.

Um exemplo é o da Dismorfia Corporal. Explico detalhadamente sobre esse distúrbio psicológico no artigo:

Dismorfia Corporal: Um alerta para a Cirurgia Plástica?

Porém, quando bem indicadas, as intervenções cirúrgicas podem trazer grandes benefícios, refletindo, inclusive, nos hábitos sociais e contribuindo para o sentimento de realização individual.

O estudo da felicidade em cirurgias plásticas

É o que mostra um estudo de longa data realizado pelo Professor Dr. Jürgen Margraf, docente de Psicologia Clínica e Psicoterapia do RUB e divulgado pelo jornal Clinical Psychological Science, em 2013.

Os pesquisadores entrevistaram 544 pacientes antes e depois da realização da sua primeira cirurgia estética. Os resultados foram comparados aos de outros dois grupos:

Grupo 1 –  composto por 264 pessoas que desistiram de seus procedimentos

Grupo 2 – composto por 1000 pessoas que nunca demonstraram interesse em uma intervenção estética.

A longo prazo, os resultados psicológicos demonstraram que os pacientes que realizaram a cirurgia estavam satisfeitos e acreditavam terem atingido seus objetivos. Quando comparados com aqueles que optaram por não realizar uma cirurgia estética, eles se sentiam mais saudáveis, menos ansiosos, com autoestima elevada e com a aparência geral mais atraente.

Os pesquisadores concluíram então que a realização dos procedimentos cirúrgicos não proporcionou apenas bons resultados físicos aos pacientes, mas também benefícios psicológicos.

cirurgia_plastica

Além disso, identificou-se também que os pacientes mais jovens e com melhores posições sociais apresentaram um desejo maior de melhorar a aparência através da cirurgia plástica (destes, 87% era do sexo feminino). De maneira geral, não houve diferenças significativas entre os grupos em termos como saúde mental, satisfação pessoal e depressão, por exemplo.

Os pacientes buscam satisfação

O estudo foi realizado a partir da metodologia “Goal Attainment Scalling”, ou Escala de Objetivos, em tradução livre. Esse método possibilitou que os pesquisadores soubessem como os pacientes se sentiam e imaginavam suas vidas em relação aos resultados da cirurgia plástica.

Com isso, o estudo ajudou a desmitificar a concepção de que todos os pacientes desejavam resultados ilusórios. De acordo com os dados, apenas 12% dos participantes tinham objetivos impossíveis de serem alcançados, como: “Após a cirurgia todos os meus problemas estarão resolvidos” ou “Eu serei uma pessoa completamente nova”.

A maioria dos pacientes definiram seus objetivos em: sentir-se melhor consigo mesmo, eliminar “defeitos” ou elevar a autoconfiança.

cirurgia_plastica

Dessa forma, podemos concluir que a realização de uma cirurgia plástica envolve fatores muito maiores do que apenas uma melhoria física.

A auto percepção sobre o corpo e seus “defeitos” pode influenciar na maneira como o paciente se enxerga e impactar negativamente sua autoestima. Corrigir imperfeições que o incomodam podem, portanto, estimular a autoconfiança pessoal e fazer com que a pessoa sinta-se psicologicamente apta a enfrentar todos os aspectos de sua vida.

Referência:

SCIENCE DAILY. Why people put themselves under the knife: Plastic Surgery Makes People Happy. 2013

VEJA TAMBÉM

Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no site, você concorda com o uso de cookies. OK