Home BlogProcedimentos Cirúrgicos - Face “Face Larga”: Como Identificar e Tratar?
“Face Larga”: Como identificar e tratar?

“Face Larga”: Como Identificar e Tratar?

por Dra. Marcela Scarpa

contorno facial é um fator determinante na beleza.

Ao longo dos últimos 50 anos, os procedimentos estéticos ampliaram os horizontes do rejuvenescimento e da estética facial em geral. – Já abordei isso em artigos como:

Rejuvenescimento Facial melhora a percepção do rosto

Nefertiti Lift: Rejuvenescimento de pescoço e colo

É comum pacientes se queixarem de “face larga”, o que, muitas vezes, pode ser resultante desde mandíbulas proeminentes até bochechas mais preenchidas.

O que é face larga?

Imediatamente ao imaginarmos as silhuetas femininas e masculinas, associamos o contorno facial mais quadrado e com ângulos bem definidos como características marcantes masculinas, enquanto que os traços mais delicados, com o terço inferior mais fino e contorno mandibular mais discreto, são relacionadas às características femininas.

Por conta disso, muitos pacientes procuram tratamento para refinar traços desarmônicos que causam a impressão de uma face maior e são incongruentes com sua personalidade.

Diferentemente do que muitos pensam, o tratamento da face larga é muito mais complexo do que apenas a bichectomia. Sua correta causa deve ser investigada, podendo ser, além do abaulamento da Bola de Bichat, a hipertrofia do músculo masseter, deformidades ósseas, alteração da posição dos dentes e oclusão .

Bochechas proeminentes

No caso de bochechas muito volumosas e que acrescentem um aspecto maior ao contorno facial, a Bichectomia pode ser considerada como uma opção de tratamento.

A estrutura facial apresenta uma anatomia complexa. Entre suas diversas e delicadas estruturas, existe um compartimento de gordura que se estende praticamente ao longo de toda a superfície lateral do rosto, desde a têmpora até próximo à mandíbula, chamado de Bola ou Bolsa de Bichat. Quando há um maior volume na região da bochecha, esse  compartimento pode resultar em um contorno facial mais grosseiro na região.

Bichectomia consiste na retirada cirúrgica de parte desse compartimento de gordura, resultando em um afilamento do contorno facial.

Explico com mais detalhes sobre as indicações e as etapas do procedimento nesse artigo.

Hipertrofia do Masseter

Outras vezes, a “face larga” pode ter uma causa muscular: o Masseter é um músculo de grande espessura e força, que se estende do arco zigomático à face lateral do ramo da mandíbula. É um dos grandes responsáveis pela mastigação.

“Face Larga”: Como identificar e tratar?

Hipertrofia do Músculo Masseter é caracterizada pelo aumento de volume unilateral ou bilateral. Em grande parte dos casos, abaulamento ósseo do ângulo da mandibula está associada a hipertrofia (como resultado da própria ação muscular excessiva), intensificando a projeção mandibular.

hipertrofia do masseter é mais comum em pacientes jovens, estando também relacionada a hábitos diários, como o uso prolongado de gomas de mascar, bruxismo, esforço mastigatórios excessivos, entre outros.

A condição pode necessitar de um tratamento clínico multidisciplinar (dependendo da causa base), com a prescrição de medicamentos (antiespasmódicos, ansiolíticos, analgésicos), técnicas fisioterápicas e a aplicação de toxina botulínica, além de possíveis intervenções cirúrgicas musculares e/ou ósseas conforme a necessidade do caso.

Toxina Botulínica

“Face Larga”: Como identificar e tratar?

O tratamento a partir da aplicação da Toxina Botulínica do tipo A promove um bloqueio muscular temporário que resulta em uma atrofia muscular da região. Com o tratamento, a mandíbula relaxa, e os aspectos de rigidez do músculo masseter são suavizados.

Essa opção de tratamento é uma alternativa menos invasiva que a intervenção cirúrgica. Sua utilização em pontos estratégicos proporciona um notável afilamento da face, resultando em uma aparência mais delicada.

Esse procedimento permite melhorar a estética facial de forma menos invasiva e sem os riscos de uma cirurgia convencional. No entanto, é preciso lembrar que função muscular retorna gradativamente em até 6 meses após o procedimento, o que torna necessário uma nova aplicação.

Em alguns casos, é necessário que o tratamento seja feito de forma combinada: aplicação de toxina botulínica e remoção das bolsas de Bichat.

Cirurgia Ortognática e Tratamentos Ósseos

“Face Larga”: Como identificar e tratar?

cirurgia ortognática consiste na mobilização dos maxilares – ossos que contém os dentes superiores e inferiores denominados, respectivamente, maxila e mandíbula – para correção da oclusão/mordida e melhora das proporções faciais.

Já falei detalhadamente sobre o assunto nesse artigo.

“Face Larga”: Como identificar e tratar?

Em alguns casos, a oclusão/mordida encontra-se normal, com hipertrofias e abaulamentos ósseos localizados que prejudicam o contorno facial. Nesses pacientes, o tratamento ósseo torna-se mais simples, apenas com desgaste ósseo localizado, para melhor harmonia.

As causas das deformidades ósseas podem ser:

  • Fatores embriológicos;
  • Fissuras faciais;
  • Distúrbios de crescimento após o nascimento;
  • Trauma facial;
  • Problemas musculares e hormonais;
  • Origens genéticas.

São procedimentos cirúrgicos realizados em ambiente hospitalar, geralmente sob anestesia geral, conforme critérios clínicos de segurança para o paciente.

O correto diagnóstico é realizado por um Cirurgião Crâniomaxilofacial, que avaliará a gravidade e as opções cirúrgicas disponíveis.

Podemos assim concluir que o tratamento de um rosto alargado e os métodos para seu tratamento são muito mais complexos do que é amplamente divulgado. A correta avaliação e diagnóstico são essenciais para um resultado satisfatório e prolongado, que não tenham um impacto futuro negativo tanto estético quanto funcional.

Referências

RODRIGUES, Danillo Costa et al. Hipertrofia Unilateral do Músculo Master: Relato de Caso. Rev. cir. traumatol. buco-maxilo-fac. [online]. 2013, vol.13, n.4, pp. 21-26. ISSN 1808-5210.

SURGICAL & COSMETIC DERMATOLOGY. Afinamento do terço inferior da face com uso de toxina butulínica no músculo de masseter. 2016

VEJA TAMBÉM

Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no site, você concorda com o uso de cookies. OK