Home BlogProcedimentos Cirúrgicos - Contorno Corporal Tenho Quadril Estreito (ou Hip Dips), Como Resolvo?
Tenho Quadril Estreito, Como Resolvo?

Tenho Quadril Estreito (ou Hip Dips), Como Resolvo?

por Dra. Marcela Scarpa

Em 2020, uma nova tendência de body positivity surgiu. O chamado Hip Dips ou Violin Hips tomou conta das redes sociais, como forma de encorajamento de mulheres e aceitação pessoal.

Agora, a pergunta que fica, o que é o Hip Dips?

Vou explicar em detalhes tanto as causas da depressão do quadril quanto as possibilidades de tratamento. Afinal, para muitas mulheres, o Hip Dips pode ser motivo de prejuízos na auto estima.

O QUE É A DEPRESSÃO TROCANTÉRICA, CONHECIDA COMO HIP DIPS?

O Hip Dips ou, no seu termo técnico, depressão trocantérica nada mais é do que o afundamento presente na região do quadril em algumas pessoas, causando um aspecto de concavidade na lateral do glúteo, logo acima das coxas.

O aspecto quadrado e irregular da região costuma ser motivo de insegurança e acaba prejudicando o bem-estar emocional de quem possui a depressão trocantérica. É, geralmente, mais evidente em pessoas que estão acima do peso ideal ou naquelas que treinam rotineiramente, acentuando-se com a hipertrofia da musculatura de membros inferiores e glúteo. Porém, essa premissa não é uma regra.

Sua causa é multifatorial, podendo apresentar-se isoladamente ou em associações:

QUAIS AS CAUSAS DO HIP DIPS?

• Anatômica
          • pela inserção da pele na aponeurose glútea (Fig 2)

Tenho Quadril Estreito, Como Resolvo?
Fig 2

• pelo formato ósseo do quadril (bacia) e/ou da cabeça do fêmur, com proeminência maior desses ossos ou maior angulação (Fig.3)

Tenho Quadril Estreito, Como Resolvo?
Fig 3
  • Alterações posturais (como a retroversão pélvica), por exemplo
  • Alterações musculares, com encurtamentos ou hiperatividade de grupamentos musculares

As causas anatômicas são constitucionais e geralmente possuem caráter familiar.

  • Por atividades físicas intensas, com consequente perda de gordura local e aumento da massa muscular na região dos glúteos e coxas.

COMO CORRIGIR A DEPRESSÃO NO QUADRIL?

Existem tratamentos cirúrgicos e não-cirúrgicos para correção do Hip Dips, a depender da sua causa base:

  • Não cirúrgicos:
    • Alterações posturais e musculares podem ser corrigidas com fisioterapia ou condicionamento físico.
  • Cirúrgico:

A gordura é retirada de regiões de acúmulo indesejado, como culotes, flancos, etc. A região trocantérica deve ser liberada e, após o preparo adequado da gordura, a mesma é injetada, preenchendo a depressão.

Depressões leves geralmente apresentam resultados extremamente satisfatórios com a cirurgia.

Depressões moderadas a graves podem não ser totalmente corrigidas em um único procedimento, sendo necessárias novas lipoenxertias subsequentes.

Além disso, pacientes muito magras também podem não ter a deformidade totalmente resolvida no procedimento cirúrgico. Nesses casos, geralmente não há quantidade de gordura disponível suficiente para serem retiradas de outras regiões. É possível concluir, portanto, que os casos devem ser individualizados e amplamente discutidos com um cirurgião plástico (veja se o seu médico é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica aqui.

Porém, independente do grau, quando bem indicado, o procedimento permite uma melhora da região.

PRÓTESE DE GLÚTEO RESOLVE O PROBLEMA DO QUADRIL ESTREITO?

Com relação aos implantes de silicone, os mesmos não resolvem o problema pois não se adaptam bem à região. São posicionadas dentro do músculo glúteo máximo e, consequentemente, respeitam seus limites anatômicos laterais. Assim, têm sua melhor indicação para aumento da projeção glútea posterior.

A BIOPLASTIA COM PMMA, É UMA ALTERNATIVA PARA SOLUCIONAR O HIPS DIPS?

Alguns profissionais indicam, nesses casos, bioplastia com PMMA.

O Polimetilmetacrilato é um produto em microesferas de acrílico (ou seja, um tipo de plástico), inserido PERMANENTEMENTE no organismo.

Alguns tipos possuem sim liberação pela Anvisa, porém, seu uso atual é extremamente restrito (ao meu ver, ausente).

É bem popular pelo seu baixo custo de mercado, mas, nesses casos, o barato pode sair muito caro!

Não realizo o procedimento e não recomendo que realizem! Já falei sobre isso em um artigo anterior, clique aqui para conferir.

Quer tirar todas as suas dúvidas sobre Hip Dips? Clique aqui e agende uma consulta com a Dra. Marcela Scarpa.

VEJA TAMBÉM

Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no site, você concorda com o uso de cookies. OK