Home BlogProcedimentos Cirúrgicos - Face O Que São Festoons Malares e Como Tratá-los?
O que são Festoons Malares e como tratá-los?

O Que São Festoons Malares e Como Tratá-los?

por Dra. Marcela Scarpa

Saiba o que é e o que causa o abaulamento da pele dessa região

O que são Festoons?

O termo “festoon” deriva originalmente da palavra italiana “festone” – um tipo de decoração que fica pendente entre dois pontos, com uma ondulação no meio.  Da mesma forma, os festoons malares surgem como uma bolsa de pele abaixo dos olhos, numa junção entre a pálpebra inferior e a bochecha.

É, assim, um conjunto de dobras de pele, frouxidão ligamentar, muscular e edema (inchaço) crônico em diferentes proporções.

O principal fator para seu desenvolvimento é a frouxidão do ligamento local (ligamento malar) que favorece o acúmulo de líquido na região (edema). Com o inchaço crônico, associado ao enfraquecimento e degeneração do músculo orbicular dos olhos (causando dobras na pele) forma-se o festoon.

Os festoons podem ser de grau leve, moderado ou severo.

O que causa o Festoon?

O que são Festoons Malares e como tratá-los?

Ainda não são totalmente claras as razões que levam ao enfraquecimento muscular da região, mas acredita-se que sejam multifatoriais.

“Os festons desenvolvem-se devido a razões como genética, danos causados ??pelo sol, envelhecimento e uma deficiente drenagem linfática. Como resultado, ao longo do tempo, a área estrutural abaixo da superfície da pálpebra sofre danos em suas fibras elásticas, causando enfraquecimento da pele, e levando a uma lacuna onde podem ocorrer edemas ”, diz o cirurgião plástico Dr. Joseph Cruise, de Orange County.

“Malar mounds” também é um termo frequentemente usado de forma similar com Festoons, mas corresponde tecnicamente a um grau menor de edema e flacidez de pele.

Prevenção e Tratamentos

Como pode-se imaginar, uma alteração com múltiplas causas não possui um tratamento simples.

Para cada alteração anatômica é necessário à elaboração de uma técnica precisa.

Existem várias abordagens cirúrgicas e não cirúrgicas para seu tratamento. Sua aplicação em conjunto ou de forma isolada pode ser benéfico para o paciente, desde que indicados por um especialista.

Menos invasivos:

Mudança de Hábitos

Hábitos de vida saudáveis ajudam a prevenir a formação ou piora dos festoons já estabelecidos. Deve-se evitar ingestão alcoólica, cessar o tabagismo, ter uma dieta equilibrada e com pouco sal, além da prática de atividade física e boas noites de sono.

Proteção solar

Danos causados ??pela exposição solar é um dos fatores que contribuem para o desenvolvimento do Festoon. Proteger-se da exposição excessiva pode prevenir ou retardar seu desenvolvimento.

É importante notar que nenhuma quantidade de filtro solar funciona como um tratamento para Festoons já estabelecidos.

Drenagem linfática facial

Drenagens linfáticas da região melhoram o edema (inchaço) e são opção para festoons leves a moderados. Porém, exigem sessões de manutenção frequentes e não funcionam como tratamento definitivo.

Laser

O que são Festoons Malares e como tratá-los?

resurfacing a laser é uma modalidade de tratamento estabelecida (laser COe Erbium:YAG). Age induzindo pequenas lesões controladas, estimulando a produção de colágeno e maior firmeza da pele. São indicados para festoons leves e moderados. Possui um downtime (período de afastamento de atividades) variável de acordo com o tipo e potência utilizada.

Embora o resurfacing (rejuvenescimentoa laser possa melhorar os Festoons, raramente tem poder de cura. Em graus mais severos, os resultados obtidos são inferiores à cirurgia.

Para o tratamento de Festoons, os tipos de laser mais utilizados são o de dióxido de Carbono (CO2) e Erbium:YAG.

Saiba mais sobre o Laser de CO2 Fracionado.

Radiofrequência

O conceito por trás da terapia por radiofrequência é um pouco semelhante ao resurfacing a laser: a indução de uma lesão controlada que resulta em uma pele mais firme através do estímulo de colágeno. A diferença é que, em vez de usar um laser, é utilizado um dispositivo que emite ondas de radiofrequência que, por sua vez, produzem um aquecimento da pele.

A terapia por radiofreqüência compartilha as limitações do tratamento a laser, mas tem um período de recuperação mais curto.

Peelings Químicos

O que são Festoons Malares e como tratá-los?

Os peelings químicos são substâncias que, quando aplicadas na pele, provocam a descamação e renovação tecidual. A nova camada de pele formada apresenta-se mais firme e suave. Alguns médicos recomendam peelings químicos para Festoons leves.

Aplicações de ácido hialurônico

ácido hialurônico (HA) é um preenchedor injetável muito utilizado, sendo recomendado por alguns médicos para preencher e dar sustentação ao tecido ao redor de Festoons mais leves. As aplicações de Ácido Hialurônico não tratam o Festoon, mas permitem uma camuflagem da região.

Abordagens Cirúrgicas

Embora os métodos anteriores possam ser eficazes em alguns casos, as opções cirúrgicas geralmente oferecem um tratamento mais apropriado e com menor taxa de recidivas.

Os graus moderados e leves podem ser tratados com uma transposição de tecido saudável, enquanto o grau mais severo é tratado pela excisão direta do tecido degenerado.

Os pacientes que apresentam bolsas de gordura palpebrais e Festoons são geralmente aconselhados a tratá-los de forma conjunta, já que remover apenas as bolsas palpebrais pode ressaltar a aparência dos Festoons.

Blefaroplastia ou Cirurgia das Pálpebras

O que são Festoons Malares e como tratá-los?

As técnicas clássicas de blefaroplastia têm como finalidade aprimorar e corrigir a função, a forma e o aspecto estético das pálpebras (se quiser saber mais sobre a cirurgia, clique aqui).

Para o tratamento conjunto dos festoons, pode-se realizar, desde excisão direta da lesão (como dito acima), até uma suspensão do terço inferior da face, pela progressão da blefaroplastia inferior através do rebordo ósseo da órbita, atingindo a bochecha e os ossos malares. Por esse acesso estendido, os ligamentos podem ser reposicionados e reparados por suturas locais e o tecido excedente e degenerado, ressecado.

indicação cirúrgica adequada deve ser individualizada de acordo com os fatores causais predominantes e gravidade da redundância de pele e edema.

A recuperação pode demorar algumas semanas, sendo possível notar alguma vermelhidão ou inchaço durante esse período.

Facelift

O que são Festoons Malares e como tratá-los?

Outra técnica cirúrgica muito utilizada para corrigir Festoons mais extensos, é o levantamento ou suspensão da face média, também conhecido como Facelift.

Nesta cirurgia, as estruturas são reposicionadas, a flacidez tecidual corrigida e o excesso de pele ressecado.

Outra opção terapêutica é a suspensão endoscópica (uma pequena sonda com uma câmera acoplada a ela – ótica) a qual, através de uma pequena incisão, são realizadas suturas para reposicionamento e reestruturação tecidual. Por ser uma cirurgia menos invasiva, a recuperação é geralmente mais rápida, com menor afastamento das atividades habituais.

Excisão Direta

excisão direta é uma opção para paciente com quantidades significativas de pele (festoons graves).

É realizada através da ressecção de um fuso local do excedente cutâneo. A cicatriz deste procedimento é geralmente mais aparente do que a dos procedimentos anteriores, mas de fácil camuflagem (acredite, em casos graves, a indicação é válida).

É importante que o paciente procure orientação especializada para o tratamento dos Festoons, para que possa garantir resultados harmoniosos e individualizados para seu caso.

VEJA TAMBÉM

Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no site, você concorda com o uso de cookies. OK