Home BlogCâncer de Pele Ex-Miss Descobre Câncer Raro e Agressivo na Unha. Suspeitas Recaem Sobre as Unhas em Gel.
Ex-miss descobre câncer raro e agressivo na unha, suspeitas recaem sobre as Unhas em Gel.

Ex-Miss Descobre Câncer Raro e Agressivo na Unha. Suspeitas Recaem Sobre as Unhas em Gel.

por Dra. Marcela Scarpa

Entenda porque os especialistas estão alertando sobre a técnica

Unhas em gel tornaram-se muito populares nos últimos anos devido as suas cores vibrantes e longa duração. No entanto, o melanoma diagnosticado na modelo Karolina Jasko provocou uma série de novas preocupações sobre a técnica, principalmente com relação ao câncer de pele.

Ex-miss descobre câncer raro e agressivo na unha, suspeitas recaem sobre as Unhas em Gel.

Miss Illinois, então com 21 anos, percebeu uma pequena linha preta em seu polegar enquanto fazia a remoção das unhas em gel. Uma semana depois, a região começou a apresentar edema (inchaço) e vermelhidão. Karolina foi diagnosticada com melanoma, uma variação agressiva de câncer de pele.

Ex-miss descobre câncer raro e agressivo na unha, suspeitas recaem sobre as Unhas em Gel.

Aos 21 anos, Karolina revelou que teve toda a unha do polegar removida em cirurgia e, complexada, cobriu o dedo com um curativo por praticamente um ano.

Melanoma de unha

“melanoma de unha” ou “melanoma subungueal” é um câncer que,  como o nome diz, afeta os tecidos abaixo da unha das mãos e/ou dos pés. Esse câncer é mais comum nos polegares, mas pode afetar qualquer dedo, seja da mão ou do pé.

Os sinais incluem uma faixa de pigmentação escura que cobre a unha, e causa fragilidade e sangramento no local afetado. O câncer é difícil de ser diagnosticado por ter características semelhantes a um hematoma ou infecção, como foi o caso de Karolina.

A causa do melanoma subungual ainda não é totalmente clara para a medicina. Porém, é consenso que causas multifatoriais, como a genética e fatores ambientais (entre eles a exposição ao raio UV, utilizado na fixação das unhas de gel), podem favorecer seu aparecimento.

A aplicação da Unha em Gel

Ex-miss descobre câncer raro e agressivo na unha, suspeitas recaem sobre as Unhas em Gel.

As unhas em gel são bastante populares, mas aplicá-las e removê-las envolve um grande processo. A substância do gel assemelha-se à composição de um acrílico, e sua “secagem” é finalizada com exposição à luz UV. Especialistas alertam que a exposição, apesar de breve, é intensa, e não é recomendada para pessoas com maior predisposição a desenvolver a doença.

Sua remoção envolve processos que desgastam a unha e podem deixá-las ressecadas e quebradiças, principalmente devido ao uso intenso da acetona.

melanoma lentiginoso acral, como esse que acometeu Karolina e também vitimou o cantor Bob Marley, é incomum e geralmente diagnosticado através da investigação após o aparecimento de novas manchas nas unhas.

Já falei em detalhes sobre ele no artigo: O melanoma acral de Bob Marley, clique aqui para ler.

Miss Karolina Jasko conta com um histórico familiar de câncer – sua mãe desenvolveu a doença 2 vezes e se recuperou – no entanto, seu médico acredita que a frequente exposição a luz UV para colocar suas unhas em gel pode ter contribuído para a manifestação da doença.

“De maneira geral, a luz ultravioleta utilizada na secagem das unhas em gel é mínima e, por isso, pode ser considerado seguro utilizá-la. Para que o procedimento cause algum dano, seriam necessárias muitas exposições. ”, disse Dr. Rubestein, médico responsável pelo atendimento de Karolina.

Luzes UVA

Ex-miss descobre câncer raro e agressivo na unha, suspeitas recaem sobre as Unhas em Gel.

“As lâmpadas utilizadas nestes casos emitem raios ultravioletas do tipo A, que possuem comprimento de onda maior que o tipo B, e, portanto, penetram mais profundamente na pele”, explica a Dra. Susan Swetter, diretora de estudos sobre Lesões Pigmentadas e Melanoma, professora de dermatologia do Centro Médico da Universidade de Stanford e do Instituto do Câncer.

“Nós sabemos que ambos (UVB/UVA) contribuem para o risco de câncer de pele, incluindo o melanoma, porém nesses casos a exposição é muito pequena, e dificilmente oferece grandes riscos”, completa a especialista.

Devemos nos preocupar?

Um estudo divulgado pelo periódico JAMA Dermatology, em 2014, mensurou a concentração das emissões UV das lâmpadas utilizadas na secagem das unhas e descobriu que mesmo após muitas aplicações, o risco de câncer de pele se mantém baixo.

Já em um artigo publicado recentemente pelo mesmo jornal, uma análise dos casos de duas mulheres saudáveis ​​de meia idade, sem histórico pessoal ou familiar, que desenvolveram câncer de pele não-melanoma no dorso de suas mãos. Ambas as mulheres relataram exposição prévia a luzes UV durante a aplicação das unhas em gel. Os pesquisadores consideram que a exposição às luzes UV nas unhas pode ser um fator de risco para o desenvolvimento de câncer de pele e, por isso, recomendam enfaticamente a realização de novas pesquisas sobre os efeitos fisiológicos provocados pela técnica.

É importante proteger as mãos

Ex-miss descobre câncer raro e agressivo na unha, suspeitas recaem sobre as Unhas em Gel.

Os autores dos estudos recomendam o uso de protetor solar nas mãos ou luvas de proteção durante a utilização das lâmpadas UV.

No caso das luvas, é importante optar pelos tons escuros e opacos, uma vez que as luvas brancas de algodão possuem FPS 4 (muito baixo).

Apesar do baixo risco de câncer de pele, o procedimento evidentemente contribui para o fotoenvelhecimento precoce.

Sintomas

Independentemente de utilizar ou não a técnica de unhas em gel, é importante visitar um especialista assim que notar algo diferente na pele.

Feridas avermelhadas e não cicatrizantes nas mãos podem ser indícios de um câncer de pele.

Já falei detalhadamente sobre os tipos de Câncer de Pele e alguns métodos para identificá-lo no artigo: Fã alerta medalhista olímplico Rio-2016 sobre Melanoma, clique aqui para ler.

VEJA TAMBÉM

Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no site, você concorda com o uso de cookies. OK