Home BlogProcedimentos Cirúrgicos - Contorno Corporal Saiba o Que É Lipedema e Como Pode Afetar a Qualidade De Vida, Principalmente Das Mulheres
lipedema

Saiba o Que É Lipedema e Como Pode Afetar a Qualidade De Vida, Principalmente Das Mulheres

por Dra. Marcela Scarpa

Saiba o que é lipedema e como pode afetar a qualidade de vida, principalmente das mulheres.

Lipedema é uma doença crônica, diagnosticada clinicamente e que afeta o tecido adiposo distribuído pelo corpo. É um acúmulo atípico, simétrico e anormal de gordura sob a pele, geralmente localizado nas pernas, nos quadris ou na parte superior dos braços.

Seu surgimento se dá a partir de um desenvolvimento anormal das células de gordura (adipócitos).

Muitas vezes confundido com a obesidade ou o linfedema, o lipedema é progressivo e pode causar complicações como cicatrizes, infecção, dor e prejuízo de mobilidade.

Quais são as causas do lipedema

O lipedema é uma das muitas condições crônicas que causam inchaço. No entanto, é um tanto singular, pois afeta quase exclusivamente as mulheres.

Além disso, de acordo com um estudo de 2011, nos “Anais de Medicina de Reabilitação”, 15% dos doentes apresentam uma história familiar da doença.

Já pacientes do sexo masculino diagnosticados com lipedema, apresentaram o desenvolvimento desta condição relacionado à deficiência de testosterona, do hormônio do crescimento e com doenças hepáticas (do fígado).

Não há muitos estudos claros e objetivos sobre a origem do lipedema.

Suspeita-se que haja uma causa genética associada à fatores metabólicos, inflamatórios e, principalmente, hormonais.

Lipedema

Lipedema e seus sintomas

O principal sintoma da doença inclui edema (inchaço) das pernas, que faz com que elas alarguem-se dos tornozelos até os quadris, de forma desproporcional ao restante do corpo.

Há também sensibilidade aumentada, dor e hematomas, prejudicando a mobilidade do paciente em casos graves.

É bilateral, com aumento simétrico de tecido gorduroso principalmente nas pernas e tornozelos, associado a uma tendência ao edema, que piora ao ficar em pé.

Sintomas mais comuns:

  • Dor;
  • Hipersensibilidade ao toque e à pressão;
  • Acúmulo de gordura lipedêmica da cintura até os joelhos ou tornozelos, podendo associar-se a uma marca anelar acima do tornozelo;
  • Não acometimento dos pés;
  • Acúmulo de gordura lipedêmica nos braços;
  • Perda da elasticidade da pele;
  • Hematomas fáceis e frequentes;
  • Cansaço geral;
  • Teleangectasias (vasinhos) nas pernas;
  • Textura borrachosa do membro;
  • Início na puberdade, gravidez ou menopausa;
  • Podem ocorrer bolsões de gordura/fluído abaixo do joelho.

Diagnosticando o lipedema

Não há exames de imagem ou laboratoriais suficientemente conclusivos para diagnosticar a doença, sendo este baseado nos sinais clínicos e sintomas.

Observa-se notadamente que o linfedema é frequentemente associado ao lipedema, pois as células de gordura entumecidas podem bloquear os canais linfáticos, causando edema adicional.

É frequentemente acompanhada de outras doenças, como articulares, venosas, obesidade e transtornos psicossociais.

O lipedema possui 4 estágios:

  1. Estágio I : superfície da pele normal com aumento da hipoderme;
  2. Estágio II: pele irregular, com sulcos. Grandes acúmulos de tecido gorduroso, lipomas e angiolipomas;
  3. Estágio III: grandes massas de tecido adiposo causando deformidades, especialmente nas coxas e nos tornozelos;
  4. Estágio IV: lipedema com linfedema (lipolinfedema).
lipedema

Lipedema versus Linfedema

O linfedema é definido como um acúmulo de líquido e proteínas, que pode ocorrer em diversas regiões do corpo, mas com particular importância nas extremidades como braços e pernas.

Várias doenças estão relacionadas ao comprometimento do sistema linfático, seja pelo seu bloqueio ou pela sua lesão direta.

O lipedema pode surgir por causas genéticas, metabólicas, hormonais ou inflamatórias.

Já o Linfedema pode ser adquirido (secundário a cirurgia, trauma ou infecção, por exemplo, que danificam o sistema linfático) ou congênito (mudanças hereditárias no sistema linfático).

Por mais que o lipedema seja muitas vezes confundido com o linfedema, o não acometimento dos pés é um forte sinal para a diferenciação.

Tratamentos para o lipedema

Não há cura identificada para o lipedema, entretanto, sua detecção e tratamento precoces podem reduzir os danos progressivos relacionados.

A diminuição do peso e a prática de exercícios físicos (com o uso de meias de compressão) podem ajudar a reduzir a gordura não-lipedêmica e controlar a inflamação.

Dessa forma, o controle do peso corporal pode prevenir o seu aumento, no entanto, pode ocorrer progressão mesmo com dieta rígida e um plano de exercícios.

Procedimentos futuros podem ser necessários.

Embora não haja tratamento comprovadamente efetivo, o edema pode ser controlado com a terapia de compressão, dieta, certos medicamentos, drenagem linfática manual e demais terapias de descongestão.

lipedema

Lipoaspiração para tratar lipedema

A lipoaspiração tem se mostrado uma opção segura para a diminuição da circunferência e melhora da aparência dos membros inferiores.

Além disso, há melhora da dor, da movimentação, do edema e diminuição da fragilidade capilar, tendo impacto positivo na qualidade de vida dos pacientes.

A técnica de lipoaspiração mais utilizada é a tumescente.

Nela, é injetada uma solução no tecido subcutâneo que, além de anestesiar, causa a vasoconstrição, diminuindo assim o trauma vascular.

O procedimento cirúrgico pode envolver múltiplas sessões, dependendo do grau da doença, realizadas a cada 3-4 meses.

O volume aspirado deve obedecer aos limites de segurança calculados individualmente para cada paciente.

É importante ressaltar que a lipoaspiração não cura o lipedema, mas pode ajudar a controlar sua progressão e proporcionar maior qualidade de vida ao paciente.

Por ter origens supostamente genéticas e hormonais, seu reaparecimento é possível. Portanto, o paciente não deve abandonar seu tratamento clínico tradicional.

VEJA TAMBÉM

Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no site, você concorda com o uso de cookies. OK